Domingo, 21 de Fevereiro de 2010

UM MORTAL SILÊNCIO

por General-de-Brigada do Exército Brasileiro Valmir Fonseca Azevedo Pereira

Ao longe um clarim lamentoso.

Do frio metal um som dorido, pungente, magoado e tristonho.

É o toque de silêncio.

Os ouvintes compungidos abaixam a cabeça.

Uma dor amarga a nossa boca.

Esvai-se mais uma esperança.

Os olhos de todos se embaçam pela lágrima que não rolou, mas que foi engolida pela impotência, e desceu pela seca garganta.

Por ora, calou-se a única voz de um militar da ativa capaz de emitir uma opinião sem medo.

De denunciar o vergonhoso "establishment" que sombreia o futuro da Pátria. Calou-se, penalizada pela prepotência, pelo desmando, pela ignomínia, pelo totalitarismo, pois a bem da verdade, aquela voz inspirou medo.

Sufocou-se o alerta desinteressado, uma voz brasileira foi amordaçada, mas não se muda uma vírgula sequer do texto eivado de maléficas intenções e torpes objetivos. Diante da infidelidade no sofá, retira-se o sofá.

Esperamos que a imolação do General no altar da besta sirva de alerta para os incautos, para que dêem tratos à bola, e pensem. "Poxa", se um General de Exercito, de altíssimo conceito foi capaz de expor-se contra alguma "coisa", a "coisa", "boa coisa não é".

Nós militares perdemos e muito. O peso de um General de Exército entre nós é grande.

Sabemos do crivo para chegar a tanto, as qualidades necessárias para atingir o ápice da carreira. O militar precisa ter estofo, caráter, atitude.

O General Santa Rosa as teve e cultivou-as com desvelada atenção ao longo de sua carreira, e as manteve altaneiras, até no seu encerramento.

Porém, se de um lado o corneteiro, com toda a sua sensibilidade solta do fundo do peito acordes que tocam a nossa alma, lamentando o destino da voz amordaçada, por outro, festejemos a coragem e o exemplo do General.

Por isso, Mestre da Banda inicie o dobrado "Fibra de Herói", em regozijo, pois, certamente, outros da mesma estirpe, incentivados pelo exemplo altaneiro do exonerado e intimorato Chefe, terão a hombridade de afrontar com dignidade, com a altivez do soldado a tantos quantos pérfidos e canalhas surgirem, mesmo que acobertados por uma distorcida democracia, construída para atender seus deploráveis desígnios.

Quem viver verá que a fibra do soldado não perece.

Fonte: http://bootlead.blogspot.com/2010/02/os-homens-so-se-lembram-de-deus-e-dos.html


publicado por ccc-br às 01:48
link do post | comentar | favorito
|

.as minhas fotos

.posts

. Frustram reação das FARC

. Quem elege "Porcos", na "...

. Estátua de Stalin é derru...

. Celso Daniel e as 7 coinc...

. O enterro das Forças Arma...

. O Brasil precisa de um es...

. Um comunista a menos! Vam...

. José Serra ataca as FARC ...

. A dança de Lula com os dé...

. As Tróikas

. Para Gorbachev, Rússia pr...

. Fichas Suja - Lista dos S...

. Pode existir socialismo c...

. Será que Lula não é comun...

. Perigo de fraude!

.globe

.links

.noname

eXTReMe Tracker

.subscrever feeds